sexta-feira, 24 de novembro de 2017

AGUAR se encaminha para ser a Entidade Executiva dos Comitês Araranguá e Urussanga

Associação de Proteção da Bacia Hidrográfica do Rio Araranguá ficará responsável pelo apoio do funcionamento dos dois Comitês


Após passar por diversos trâmites burocráticos, a Associação de Proteção da Bacia Hidrográfica do Rio Araranguá (AGUAR) se encaminha para ser definida como a Entidade Executiva que ficará responsável pelo apoio do funcionamento dos Comitês de Gerenciamento das Bacias Hidrográficas dos Rios Araranguá e Urussanga, inicialmente nos próximos dois anos. A situação foi destacada durante a 48ª Assembleia Ordinária do Comitê Araranguá, realizada nesta quinta-feira, 23.
O processo para aprovação da Entidade Executiva precisa passar por três fases. A AGUAR já foi aprovada nos dois primeiros: as fases de seleção, momento em que a associação se candidatou e foi aprovada conforme orienta a lei; e de habilitação, quando teve sua documentação avaliada e satisfez a todos os requisitos impostos. “Agora, está na última fase, em que precisam ser cadastrados todos os dados no Sistema de Gestão Fiscal do Estado. Depois disso, estando tudo certo, o contrato é assinado e o recurso é repassado pelo Governo de Santa Catarina”, explica o técnico da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável, Tiago Zanatta.
Conforme o técnico, o setor financeiro está trabalhando no caso e a garantia é que estes recursos sejam repassados no dia 29 de novembro ou, no máximo, até 14 de dezembro de 2017. “Quando os recursos entrarem na conta da AGUAR, conseguiremos retomar com força total as ações que já vem sendo realizadas voluntariamente, inclusive por nossos técnicos, durante todo o ano. Inclusive, para 2018, a expectativa é que os trabalhos de prevenção e recuperação das nossas águas sejam ainda mais fortalecidos e ampliados”, completa o presidente do Comitê Araranguá, Sérgio Marini.
Debate amplo
Entre outros assuntos, entraram em debate durante a assembleia, também, o calendário de encontros e reuniões oficiais do Comitê Araranguá para 2018, as atividades do Fórum Permanente pela Restauração e Revitalização do Rio Mãe Luzia e a criação de um grupo de planejamento para uma futura revisão do regimento interno do Comitê, e outro grupo de trabalho para fortalecer as ações elencadas no Plano de Bacias do Rio Araranguá a partir do ano que vem.
Calendário 2018
Após aprovação, foi definido que as reuniões da Comissão Consultiva serão realizadas em 15 de fevereiro, 26 de abri, 24 de maio, 2 de agosto, 10 de outubro e 6 de dezembro. Já as Assembleias Ordinárias acontecerão nos dias 29 de março, 5 de julho e 22 de novembro.
Francine Ferreira






quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Comitê Araranguá realiza 48º Assembleia Ordinária nesta quinta-feira

Encontro acontece a partir das 14h na sede da Epagri, em Araranguá.

Acontece na tarde desta quinta-feira, 23, a 48ª Assembleia Ordinária do Comitê de Gerenciamento da Bacia Hidrográfica do Rio Araranguá, a partir das 14h na sede da Epagri, em Araranguá. O presidente Sergio Marini convida todos os representantes das entidades membro para participarem do encontro.
Na pauta das discussões estarão:
  • Aprovação da Ata da XLVII Assembleia Ordinária;
  • Calendário 2018;
  • Apresentação do Fórum Permanente de Restauração e Revitalização do Rio Mãe Luzia;
  • Situação da Entidade Executiva;
  • Criação de um grupo de trabalho de Planejamento
  • Assuntos Gerais

Francine Ferreira

Siderópolis recebe 2º Seminário de Relatos de Experiências de Recuperação Ambiental

Projeto de recuperação do Rio Mãe Luzia entrará na pauta dos debates.

As ações realizadas pelos municípios em 2017 em prol do Rio Mãe Luzia, serão apresentadas nesta quarta-feira, 22, durante o 2º Seminário de Relatos de Experiências de Recuperação Ambiental, que ocorre no Centro Social Urbano de Siderópolis, das 13h30 até 17 horas. As ações foram resultantes da assinatura do Tratado pela Restauração e Revitalização do Rio Mãe Luzia em junho deste ano, quando ocorreu o 1º Giro Ciclistico Rota Rio Mãe Luzia.
Além da participação dos municípios na divulgação de ações efetivas de 2017, o evento terá uma palestra sobre os “Desafios do Direito Ambiental no Século 21” com o procurador público federal Anderson Lodetti de Oliveira.
O Seminário é uma realização do Fórum Permanente de Restauração e Revitalização do Rio Mãe Luzia, juntamente com a Unesc, as Câmaras de Vereadores dos municípios de Treviso, Siderópolis, Nova Veneza, Criciúma, Forquilhinha, Maracajá, Araranguá e Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Araranguá.

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Comitê Araranguá presente no XIX Encob

O Comitê de Gerenciamento da Bacia Hidrográfica do Rio Araranguá e Afluentes Catarinenses do Rio Mampituba compareceu ao XIX Encontro Nacional de Comitês de Bacia Hidrográfica (Encob), representado pelo membro da Casan, José Adílio. O evento foi realizado dos dias 7 a 10 de novembro, em Aracaju, Estado do Sergipe.
Em 2017, o Encob teve como tema central “Os Comitês de Bacia no fortalecimento do Sistema Nacional de Recursos Hídricos” e em parceria com o Governo do Estado de Sergipe, através da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, o Fórum Nacional de Comitês de Bacias Hidrográficas reuniu aproximadamente 800 pessoas ligadas a comitês de bacias hidrográficas e interessados pelo tema.
​O Encob
A realização do ENCOB tem apontado para a participação de representantes de todos os entes do Sistema Integrado de Recursos Hídricos do Brasil, ou seja, nestes eventos, de forma compartilhada, Poder Público, Usuários, ONGs, Universidades, Municípios, e todos aqueles interessados no tema água, tem a oportunidade de trocar ideias, apresentar experiências exitosas de boa gestão dos recursos hídricos e fundamentalmente, conhecer os modelos atualmente aplicados nos Estados brasileiros no que se refere ao gerenciamento das águas.


quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Plano Estadual de Recursos Hídricos na reta final de elaboração

Última reunião de estudos no sul do Estado foi realizada nesta quinta-feira, 26, em Araranguá.
Com objetivo de contribuir para a criação de um documento que avalie se a quantidade e qualidade da água de Santa Catarina é adequada e suficiente para as projeções de futuro, membros do Comitê da Bacia do Rio Araranguá participaram do último debate do Plano Estadual de Recursos Hídricos no sul do Estado antes da conclusão da 3ª etapa do estudo. A reunião aconteceu na tarde desta quinta-feira, 26, na sede da Epagri, em Araranguá. 
A ação é organizada pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS), Fundação CERTI e Comitê da Bacia do Rio Araranguá e Afluentes Catarinenses do Mampituba. “Na primeira fase conhecemos cenário atual dos recursos hídricos do Estado, como qual a quantidade e qualidade da água que existe, atualmente, em Santa Catarina. Na segunda etapa, determinamos se as regiões estão preparadas para receber a demanda de água dos próximos anos. Por fim, nesta terceira fase, estamos definindo um Plano de Ações a ser executado pelo Poder Público, na busca de preservar esse bem tão precioso”, explica o engenheiro sanitarista ambiental e gerente do Plano de Recursos Hídricos, Vinicius Ragghianti.
Nesta quinta-feira, ocorreu a última reunião de trabalho preparatória antes do fechamento do Plano, que deve ser concluído para apresentação à comunidade em 30 dias. “Trouxemos uma prévia da terceira parte para analisarmos, junto com o Comitê, se havia algum ponto faltando e a necessidade de incluir algum outro detalhe. O objetivo é que o estudo saia também com a cara do Comitê Araranguá, retratando a atual realidade das águas no sul catarinense”, completa Ragghianti.
O presidente do Comitê, Sérgio Marini, acredita que foi uma ótima oportunidade para a última avaliação do documento, antes de sua finalização. “E também uma grande oportunidade de participarmos ativamente do futuro das nossas águas, porque se não fizermos algo para preservar o que resta, com certeza não teremos em quantidade e qualidade suficiente para todos nos próximos anos”, finaliza.
Francine Ferreira



segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Projeto Ingabiroba é destaque em programa da TV Globo

Ação de preservação foi pauta em rede nacional neste domingo, 22,  no programa “Como Será?”, exibido pela TV Globo, em reportagem produzida pela NSC TV de Criciúma.

O Projeto Ingabiroba

O projeto Ingabiroba é uma iniciativa que começou em 2009 em Nova Veneza e Forquilhinha, onde produtores agrícolas recebem incentivos para disponibilizarem áreas para recuperação ambiental, através do plantio de mudas. Já alcançando outras cidades do sul catarinense, a ação é coordenada pela Associação Catarinense de Irrigação e Drenagem, com apoio do Comitê Araranguá, Epagri e Associação de Proteção da Bacia Hidrográfica do Rio Araranguá.
Clique aqui para assistir o vídeo.
Willians Biehl

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Dia da Árvore: Nova Veneza tem plantio e distribuição de mudas

Em ações alusivas ao Dia da Árvore, no último dia 21 de setembro, estudantes de diversas escolas de Nova Veneza plantaram e receberam mudas de árvore.
O plantio de 100 mudas aconteceu às margens do Rio Mãe Luzia. Alunos da Escola Municipal Bairro Bortolotto participaram da atividade, realizada entre uma parceria da ADISI - Associação de Drenagem e Irrigação Santo Isidoro, Projeto Ingabiroba, Comitê da Bacia do Rio Araranguá, Epagri, e Administração Municipal de Nova Veneza.
“Os alunos aprenderam a importância das árvores para a proteção do rio, conservação da biodiversidade e regulação da qualidade de vida do ser humano, e também sobre o tratado do Rio Mãe Luzia, rio este muito importante para os neovenezianos”, comentou a coordenadora de educação ambiental da Fundave, Karini Michels.
Além disso, mais de 300 mudas foram distribuídas para alunos das escolas Julieta Torres Gonçalves, Ítalo Anboni e Augusto Mondardo, todas também de Nova Veneza. "O Dia da Árvore precisa sempre ser lembrado e reforçado, por conta da importância de deixarmos o alerta sempre forte e presente. O Comitê, assim como as outras entidades participantes, faz a sua parte. Pedimos que a comunidade faça a sua também", reforça o presidente do Comitê da Bacia do Rio Araranguá, Sérgio Marini.
Francine Ferreira